Presentes de Natal para os colegas de trabalho: dar ou não dar?

Presentes de Natal

Natal é tempo de amizade, amor, celebração e dar sem querer nada em troca. Aliás, os presentes de Natal são um símbolo de tudo isso e até aos colegas de trabalho apetece oferecer uma pequena lembrança para comemorar a quadra festiva e mostrar o quanto gostamos deles. Mas a questão que se impõe é a seguinte: devemos ou não oferecer presentes de Natal aos colegas de trabalho?

Dar ou não dar?

O espírito natalício move em nós a vontade de oferecer presentes a toda a gente, incluindo os colegas de trabalho. Mas será que se deve oferecer presentes de Natal àqueles com quem trabalhamos? As respostas são várias e cada caso é um caso. É natural e saudável que se formem verdadeiras amizades no local de trabalho e aí um presente de Natal é perfeitamente adequado. No entanto, se não vai oferecer um presente a mais nenhum colega, essa troca de Natal deve ser feita fora do local de trabalho – é a forma mais simples de não ferir suscetibilidades. Se quer oferecer algo a cada um dos colegas de trabalho, opte por uma pequena lembrança que pode ser deixada sobre a secretária de cada um e, de preferência, igual para todos (uma pequena caixa de chocolates ou bolachas natalícias, por exemplo).

Boa alternativa: troca de presentes

Uma das melhores formas de oferecer prendas de Natal dentro do escritório é fazer a muito popular troca de presentes: cada pessoa escreve o seu nome num papel, colocam-se os papéis dentro de um saco, cada pessoa retira um papel e compra um presente de Natal para essa pessoa. Por norma, estabelece-se um valor monetário para não haver discrepâncias nas prendas e estas são trocadas no dia antes das férias de Natal, à hora do almoço, ao lanche ou no final do dia. A não ser que tenham permissão do chefe, este pequeno convívio e troca de prendas deve ser feito fora do escritório.

Dar e receber

Independentemente da sua decisão de dar ou não dar, nunca se sinta pressionado em fazê-lo dentro do ambiente de trabalho – até porque, regra geral, não é esperado por ninguém, por isso, ninguém vai levar a mal se não acontecer! Agora não se esqueça, só porque ofereceu um presente de Natal aos seus colegas de gabinete, não significa que estes vão retribuir. No entanto, a etiqueta dita que se deve retribuir sempre a oferta de alguém, mesmo que seja apenas uma pequena lembrança. Cada um dá o que quer, o que pode e porque quer: é essa a magia do Natal.

E ao chefe?

Oferecer um presente de Natal ao chefe é muitas vezes associado negativamente ao “dar graxa”, mas se já conhece o seu diretor bem e há muito tempo e tem vontade de o presentear com alguma coisa nesta quadra, pode e deve fazê-lo. Na escolha do presente de Natal para o chefe não tem necessariamente de gastar mais dinheiro apenas por se tratar do seu superior, mas deve procurar oferecer algo genérico, principalmente se não conhece muito bem os seus gostos. Faça questão de entregar o seu presente de Natal ao chefe pessoalmente, mas se quer evitar “mexericos” no escritório, não partilhe essa informação com ninguém e faça essa entrega um dia de manhã cedo, à hora do almoço ou no final do dia quando já estiver menos gente no escritório. Algumas sugestões incluem: uma garrafa de vinho, um livro, uma caneta, uma agenda, uma caixa de bombons gourmet, uma planta ou arranjo floral. Em alternativa, algo que é muito popular nas empresas passa por um grupo de colaboradores oferecer, em conjunto, um presente de Natal ao chefe, incluindo um postal assinado por todos aqueles que contribuíram para a mesma. 

Gostou deste artigo?: