Estou doente! Vou trabalhar ou não?

homem doente

Depois de uma noite mal dormida, acorda a tossir, com a cabeça a latejar e ligeiramente febril. A pensar nas mil e uma coisas pendentes que tem em cima da secretária, na reunião de direcção que tem marcada para a tarde e no estagiário que está a orientar, arrasta-se para a casa de banho, veste-se, toma um comprimido e vai para o escritório. Será que devia?

Porquê o sacrifício?

Embora doentes, a maioria das pessoas vai trabalhar na mesma por dois grandes motivos: sentimentos de culpa e porque não quer perder dinheiro no final do mês. Os sentimentos de culpa prendem-se com o facto de sentir que estará a “falhar” para com a empresa, que a sua ausência vai prejudicar os colegas que terão de assumir as suas tarefas, que o trabalho que lhe espera ficará por fazer e vai acumular – uma verdadeira dor de cabeça quando já se tem tanto que fazer. O segundo motivo é igualmente realista e mais difícil de contestar do que o primeiro mas é importante perceber que a saúde não tem preço e quem não estiver a 100% dificilmente conseguirá levar a sua vida profissional avante. Para casos mais graves, existe a baixa médica que, embora não assegure a totalidade do vencimento, garante parte do mesmo.

Quando deve ir, quando deve ficar

Regra geral, os especialistas de recursos humanos afirmam que é mais preocupante quem vai trabalhar doente do quem falta ao trabalho sem estar verdadeiramente doente. Quem está doente (principalmente com constipações, gripes e viroses) não afecta apenas a sua produtividade e o seu trabalho, mas também o dos seus colegas, que podem facilmente contagiar. Como saber se deve ou não ir trabalhar?

  • Acordar com uma dor de cabeça ou início de uma crise de enxaqueca, pode ser ultrapassada com um duche revigorante, um bom pequeno-almoço e um analgésico para o efeito. Estará pronto para enfrentar o dia.
  • Se sentir apenas o início de uma constipação, pode ir para o escritório. Previne-se com um antigripal, lave as mãos mais vezes do que o costume, evite tocar nos computadores e telefones dos seus colegas e tenha o cuidado de colocar um lenço em frente ao rosto sempre que espirrar e/ou tossir.
  • Idealmente, mesmo que seja apenas uma simples constipação, a cura é facilitada se permanecer em casa, ou seja, o que facilmente passará depois de um ou dois dias de repouso, pode prolongar-se durante uma semana ou mais se optar por ir trabalhar todos os dias.
  • Nunca vá trabalhar com febre, vómitos, diarreia ou problemas respiratórios. Não vale o sacrifício e, se aguentar o dia (o que é improvável!), chegará ao fim ainda pior.  
  • Acima de tudo, não se sinta culpado por não conseguir ir trabalhar, acontece a todos. Para além disso, o seu chefe vai querê-lo saudável, com força e vontade de trabalhar.

O aviso

Avise de imediato o seu chefe no caso de não conseguir ir trabalhar. O ideal é fazer um telefonema, explicar o que sente, dizendo que não está apto para deslocar-se e estar no local de trabalho; que também não quer correr o risco de piorar e contagiar os restantes colegas. Dependendo da cultura da empresa, esta comunicação também pode ser feita via SMS, e-mail ou Messenger. No caso de não conseguir entrar em contacto com o seu chefe, fale com alguém que lhe possa transmitir esse recado na hora ou pouco depois. Se sentir-se capaz disso, ofereça-se para trabalhar a partir de casa ou então faça questão de dizer que estará disponível para atender o telefone ou verificar e-mails se for necessário. No caso de se manter em casa durante mais do que um dia, faça um ponto de situação diário com o seu chefe.

A prevenção é o melhor remédio

No entanto, e porque nem todas as empresas são tolerantes com as faltas (mesmo que justificadas) dos seus empregados e também porque ninguém gosta de estar doente, a prevenção é sempre o melhor remédio. Se as gripes e as constipações são um calvário constante, considere tomar a vacina da gripe; proteja-se contra as doenças dos colegas, evitando o contacto físico com eles e os seus postos de trabalho quando estiverem doentes; se sofre de enxaquecas, aprenda a detectar os sinais de alerta e medique-se atempadamente; faça um check-up anual; tome um suplemento de vitaminas nas alturas em que se sentir mais cansado, menos resistente e concentrado; faça uma dieta saudável; durma o suficiente; destine tempo livre ao seu bem-estar, seja através de exercício físico, estar com os amigos ou dedicar-se aos seus hobbies. Cultive um lifestyle saudável, ou seja, para uma saúde de ferro no trabalho, terá de encontrar o equilíbrio entre este e o resto da sua vida. Se não, o corpo é que paga…

Gostou deste artigo?: