Como negociar um horário de trabalho flexível

Negociar um horário

Passamos grande parte dos nossos dias no escritório, a trabalhar arduamente para satisfazer chefes e progredir nas nossas carreiras… enquanto muitas vezes, a vida pessoal fica em standby. Os horários de trabalho flexíveis são um sonho para muitas pessoas porque podem representar o equilíbrio perfeito entre a esfera pessoal e profissional. Interessado? Saiba como negociar um horário trabalho flexível com o seu chefe e sair a ganhar.

Os motivos

Negociar e beneficiar de um horário de trabalho flexível tem muito mais a ver com o aumento da produtividade e a redução dos níveis de stress, do que com a possibilidade de dormir mais meia hora. Se perde mais de uma hora de manhã só para chegar ao escritório; se todas as tardes o seu ritmo de trabalho é quebrado pelas vezes que olha para o relógio, contabilizando o tempo que falta até ir a correr buscar os filhos à escola; ou até a pensar na lista de mil e um afazeres que estão a assombrar a sua vida pessoal… ter um horário de trabalho flexível pode ser exactamente aquilo que precisa.

Tipos de horários flexíveis

Precisamente por ser flexível, existem inúmeros horários de trabalho a considerar, antes de partir para a negociação. Analise bem cada um, para poder determinar, de forma realista, qual o melhor para si e para a empresa:

  • Trabalhar 1 ou 2 dias por semana a partir de casa
  • Trabalhar manhãs em casa e tardes no escritório ou vice-versa
  • Trabalhar exclusivamente em casa, mantendo o mesmo horário praticado no escritório
  • Trabalhar horas extra diariamente (no escritório ou à noite em casa) para usufruir de uma manhã/tarde/dia livre por semana
  • Total ausência de horário, onde o trabalho é medido exclusivamente por objectivos semanais ou mensais

Vantagens de um horário flexível para o trabalhador

  • Uma maior flexibilidade para tratar de assuntos pessoais
  • Mais disponibilidade para a família
  • Diminuição dos níveis de stress
  • Maior controlo sobre o trabalho
  • Melhor perspectiva sobre as tarefas profissionais, presentes e futuras
  • Maior motivação profissional
  • Possibilidade de trabalhar durante as horas em que se sente mais concentrado/criativo
  • Diminuição dos gastos diários (transporte, combustível, alimentação…) 

Vantagens dos horários flexíveis para a empresa

  • Colaboradores mais dedicados e pró-activos
  • Colaboradores que trabalham nos momentos em que se sentem mais concentrados/inspirados
  • Colaboradores que acabam por gostar (ainda mais) do trabalho que executam
  • Colaboradores com maiores níveis de produtividade
  • Colaboradores mais disponíveis
  • Colaboradores mais satisfeitos globalmente
  • Redução das faltas e menos incumprimento de horários (chegar tarde, sair cedo…)

6 passos para o plano perfeito

Antes de marcar uma reunião com o chefe para abordar a questão do horário de trabalho flexível, é fundamental que elabore um plano de acção. Se quer usufruir de um horário personalizado terá de mostrar, preto no branco, de que forma o vai conseguir e quais as vantagens que essa situação vai trazer para si enquanto trabalhador, mas também, e principalmente, para a empresa.

  • Porquê? Antes de mais, deve poder explicar ao chefe porque é que as suas tarefas podem ser desenvolvidas em casa e porque motivo gostaria de adoptar um horário de trabalho flexível: interrupções excessivas no escritório, maior sossego e concentração em casa, aumentar os níveis de produtividade, desenvolver novos projectos…
  • Como? Já deve ter analisado qual o tipo de horário flexível que melhor se aplica à sua situação pessoal e profissional, estando obviamente dentro daquilo que a empresa considera razoável. Faça saber qual a sua disponibilidade fora desse horário também e como irá lidar com reuniões e um eventual aumento do volume de trabalho. Os planos B também têm de ser equacionados.
  • Com quê? Terá de ter um espaço de trabalho adequado em casa, ou seja, algo que se assemelha a um escritório com acesso a computador, impressora, telefone, fax, Internet ou qualquer outro equipamento que seja necessário para executar as suas tarefas. Se necessitar de algo em particular (como, por exemplo, um telemóvel da empresa) esta é a altura adequada para o requisitar.
  • Fazer o quê? Estabeleça objectivos claros sobre as tarefas que pretende executar diária, semanal ou mensalmente – esta é a melhor forma de assegurar à empresa que pode quantificar, de forma clara e real, os resultados de um horário flexível.
  • Quando? Para ajudar a sensibilizar o chefe para o seu caso, proponha um período de experimentação de um mês ou dois, sem compromisso. Para além de mostrar a sua flexibilidade, este pode ser o “empurrão” que o chefe necessita para dizer que sim, mesmo que provisoriamente. A partir de então, estará nas suas mãos provar que consegue efectivamente cumprir aquilo a que se propõe e de uma forma em que ambas as partes ficam a ganhar.
  • Dicas extra: para ajudar a defender o seu pedido, utilize exemplos de outros colegas que já foram ou estão a ser bem-sucedidos com uma situação semelhante; evite falar em aumentos ou promoções (ter um horário de trabalho flexível é, em si, uma enorme mais-valia); mostre o seu empenho em fazer com que esta situação resulte; não se esqueça de enumerar quais as vantagens que o seu horário flexível irá trazer para a empresa; no caso de a proposta ser aceite, proponha uma avaliação mensal para assegurar que esta foi, de facto, uma aposta acertada. Se acredita veemente que um horário de trabalho flexível é exactamente aquilo que precisa e com a qual a empresa também poderá beneficiar, não tenha receio de discutir essa possibilidade com o seu chefe – o pior que pode dizer é “não” e o melhor é “sim”. Não tem nada a perder.
Gostou deste artigo?: