Apaixone-se pelo seu emprego!

Mulher a trabalhar no portátil

Por norma, misturar trabalho e prazer é um pecado profissional mas para que possa retirar o máximo de cada um dos seus dias úteis, é essencial adicionar uma pitada de paixão àquilo que habitualmente faz para ganhar um ordenado todos os meses. Estar apaixonado pelo seu emprego é uma excelente forma de combater a rotina e de procurar inspiração, principalmente porque passamos a maior parte dos nossos dias no local de trabalho. Mas, mais do que isso, a satisfação profissional poderá também ser a diferença entre ter um trabalho e ter uma carreira.

Causas da insatisfação profissional

Quem já não sentiu uma certa ansiedade no domingo à noite, com mais uma semana de trabalho à porta? Quem acorda todos os dias a pensar que dava tudo para não ter de ir para o escritório? Quem vive dias de stress contínuo num ambiente de trabalho tóxico? Quem pertence ao mundo do trabalho já sentiu ou irá viver, mais cedo ou mais tarde, uma ou mais destas situações. Afinal, quais as causas da insatisfação profissional? Infelizmente, são várias:

  • Mau ambiente de trabalho com colegas.
  • Relação fraca ou conflituosa com o chefe.
  • Não receber um salário adequado às suas funções/cargo.
  • Falta de oportunidades de promoção.
  • Ter pouco ou nenhum poder de decisão.
  • Efectuar trabalho rotineiro e/ou entediante.
  • Efectuar trabalho que não o realiza profissionalmente.
  • Efectuar trabalho que não vai de encontro às suas habilitações, capacidades ou interesses.
  • Não dispor dos recursos humanos e materiais que necessita para trabalhar eficazmente.
  • Medo de perder o emprego.

4 dicas para se apaixonar pelo seu emprego

Qualquer uma das causas de insatisfação profissional acima mencionadas são o suficiente para desmotivar qualquer pessoa, e então se verificar que no seu caso se aplicam mais do que um desses cenários, a situação complica-se. Os dias tornam-se intermináveis, os níveis de stress, frustração e ansiedade aumentam, o mau humor toma conta de si tanto dentro, como fora do escritório. Antes que comece a ficar obcecado por um emprego que detesta, aprenda a apaixonar-se por aquilo que faz e descubra a alegria no trabalho.   

  1. Defina novos objectivos. Basta um pouco de imaginação para tornar um emprego entediante, num novo desafio – aperfeiçoe as suas capacidades e conhecimentos; inscreva-se num curso ou workshop que possa beneficiar o seu trabalho diário; apresente um novo projecto ao seu chefe e peça permissão para o chefiar; voluntarie-se para orientar um estagiário ou novo colaborador.
  2. Diga não ao tédio. Até o emprego menos rotineiro pode tornar-se entediante após alguns meses ou anos de dedicação. Para aqueles dias ou fases onde o tédio toma de assalto o seu escritório, afaste-o: peça ao seu chefe para o integrar noutro departamento durante algumas semanas; experimente trabalhar em casa; se for um expert em inglês ou marketing, voluntarie-se para organizar um workshop grátis para todos os colegas interessados; aproveite as pausas para fazer coisas que gosta e que não o vão deixar morrer de tédio.
  3. Mantenha-se positivo. Embora não seja fácil – principalmente se está muito desmotivado no trabalho – é importante mudar a sua atitude perante o mesmo. Para começar, esteja atento às coisas que mais o aborrecem no dia-a-dia e procure formas de as contornar; cada vez que o seu cérebro for invadido por pensamentos como “detesto o meu emprego”, substitua-os imediatamente por pensamentos positivos; veja sempre todas as perspectivas, ou seja, haverá sempre dias bons e dias maus; aprenda com os erros; procure sempre as vantagens de qualquer situação; seja grato.
  4. Cultive relações profissionais e pessoais. Um bom ambiente de trabalho é meio caminho andado para a satisfação profissional, por isso, faça questão de alimentar relações profissionais saudáveis com todos os colegas de trabalho, assim como clientes, colaboradores e fornecedores. Nunca se sabe quem vai conhecer e que portas é que essa pessoa lhe pode abrir. Para além disso, pode até criar amizades duradouras, tendo ao seu lado, no ambiente profissional, pessoas que o apoiam, ajudam e inspiram.
Gostou deste artigo?: