8 dicas para trabalhar em casa com sucesso

Portatil no sofá

Quem tiver o privilégio de trabalhar em casa – quer seja em regime de freelancer ou porque acordou um horário flexível com a empresa onde trabalha – sabe que esta é uma situação profissional com muitas vantagens. No entanto, e como se trata de território familiar, também é muito fácil misturar a vida pessoal com a profissional, sendo que a segunda é aquela que acaba por sofrer mais. Estas 10 dicas vão ajudá-lo a conseguir o equilíbrio desejado e evitar distracções, para poder trabalhar em casa com muito sucesso.

  1. Espaço de trabalho. Embora seja uma enorme tentação ficar a trabalhar na cama ou no sofá de pijama e com o portátil apoiado nos joelhos, não é o cenário mais profissional. Uma atitude casual como esta irá reflectir-se no seu trabalho, que pode acabar por ser prejudicado, enquanto assiste a uma descida acentuada dos níveis de produtividade. Mesmo que não tenha um escritório em casa, faça questão de criar um posto de trabalho exclusivamente reservado para si, com tudo o que precisa no mesmo local – mesmo que seja num recanto da sala, do quarto de hóspedes ou da cozinha. É aí que vai “picar o ponto” todos os dias…
  2. Vista-se para trabalhar. Não há nada mais confortável do que andar em casa de fato de treino e parece uma farda perfeitamente adequada para quem se levanta e começa logo a trabalhar. No entanto, a tendência para deixar-se ficar em roupão o dia inteiro é forte, mas prejudicial para o ritmo de trabalho. Mais uma vez, dá um ar de casualidade àquilo que possa estar a fazer. O melhor é preparar-se como se fosse mesmo sair de casa: tomar banho, vestir-se (não tem de ser um fato e gravata, mas uns jeans e um top servem perfeitamente) e tomar o pequeno-almoço. Afinal de contas, o trabalho espera-o.
  3. Agende o seu dia. Se tem por hábito levantar-se e ir directamente para o computador ver e-mails e as notícias do dia enquanto eventualmente decide o que vai fazer hoje, o mais certo é ter um dia de trabalho pouco produtivo. Tenha uma agenda onde, no dia anterior, anota por ordem de importância aquilo que tem para fazer amanhã. Assim, é uma questão de colocar mãos à obra e ir riscando tarefa atrás de tarefa. Com um bocadinho de sorte, ainda pode “sair mais cedo”…
  4. Pessoal vs. Profissional. Misturar tarefas pessoais e profissionais é mais habitual do que se pensa para quem trabalha em casa, principalmente quando se trata de telefonemas, ver e-mails ou navegar na Internet. Isto é algo que pode prejudicar o ritmo e níveis de trabalho, principalmente se estiver constantemente a interromper as tarefas profissionais para verificar o e-mail pessoal, para telefonar aos amigos ou para fazer compras online. A partir do momento em que começa a trabalhar, concentre-se exclusivamente nas responsabilidades profissionais, deixando os assuntos pessoais para a hora da pausa, do almoço ou final do dia, por exemplo. O rendimento será notório…
  5. Esqueça que está em casa. É mais fácil dizê-lo do que fazê-lo, mas a verdade é que ver camas por fazer e loiça para lavar pode ser exactamente a desculpa que precisa para evitar terminar aquele relatório ou começar um novo projecto. Quem trabalha em casa também tem tendência a usar as suas pausas para “despachar” trabalho doméstico, no entanto, deve evitar isso ao máximo porque esse género de tarefas acabam sempre por demorar mais tempo do que o previsto.
  6. Objectivos concretos. Se trabalha em casa e quer garantir o seu sucesso profissional, é imprescindível que tenha objectivos semanais ou mensais estabelecidos. Determinados por si ou pela entidade empregadora, ter metas a atingir todas as semanas ou meses é uma excelente forma de concentrar as atenções, assegurar o ritmo de trabalho e ser bem sucedido em tudo aquilo que fizer. Trabalhar sem rumo pode levar a um rumo sem trabalho.
  7. Tirar o dia. Quem trabalha em casa pode pensar que, se o dia está a correr mal e ainda por cima não está minimamente inspirado, o melhor é mesmo parar e recomeçar logo ou amanhã – nada mais errado, isso é sinónimo de insucesso. Para quem está em casa, tirar o dia não podia ser mais simples e digamos que se fosse para escolher entre as adversidades profissionais e um bom filme no conforto do sofá, sabemos bem qual é que vai ganhar. A verdade é que ficará a perder: perde um dia de trabalho e atrasa tudo o que tem para fazer; quebra o ritmo e será mais difícil recomeçar no dia seguinte; e, pior, abrirá a porta para repetir o sucedido. Treine a mente a não desistir ao primeiro obstáculo, sinal de fraqueza ou preguiça, nem que para isso tenha de fazer tarefas secundárias como organizar papéis, procurar inspiração online ou sair para o jardim e apanhar um pouco de ar fresco. Estará pronto para continuar, mais depressa do que imagina.
  8. Networking. Outra das grandes vantagens e consequente sucesso de quem trabalha em casa está naturalmente relacionado com o sossego e a concentração absoluta. Uma das desvantagens prende-se com o facto de ser fácil isolar-se, até ao ponto em que é cada vez mais difícil sair de casa e comunicar verbal e pessoalmente. Mas, como o seu sucesso profissional também depende de outros, não deve isolar-se, principalmente da empresa à qual está efectivamente vinculada – fazendo questão de estar a par de todos os seus projectos e não só aqueles que lhe dizem respeito; assim como manter o contacto frequente com os colegas de escritório. No caso de trabalhar em regime de freelancer, é importante manter uma rede de contactos crescentes, onde não descura nenhum dos seus clientes, sejam eles actuais ou futuros. Nenhum homem é uma ilha, principalmente em questões de carreira…
Gostou deste artigo?: